sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Hesitações e irritações

Onde está este texto anteriormente estava outro texto... Depois de dormir sobre o assunto decidi retirar esse outro texto... Pode ser que o volte a publicar, pode ser que não... Entretanto vou falar de uma coisa que me irrita muito: o último euro do depósito da gasolina. Por exemplo, vamos abastecer gasolina e predefinimos 20 euros. Tudo corre bem até chegar aos 19 euros, a partir dos 19 euros abranda, o que nos deixa numa expectativa estúpida: por um lado está quase, por outro lado está a demorar mais do que os outros 19 euros... é irritante!

Outra questão é quando estamos num grupo de 3 ou mais pessoas, dizemos alguma coisa e, ao não perceber o que dissemos, uma dessas pessoas, em vez de nos dizer "Não percebi. Importas-te de repetir?", vira-se para a outra pessoa "O que é que ele disse?", tipo tradutor.

Eu estou ali! Será que querem passar a mensagem de que aquilo que digo é tão imperceptível que já nem vale a pena pedir para repetir? Porque é que não chamam um especialista em línguas mortas? Falamos todos português, não é preciso tradução nenhuma! O que eu achava piada era se o "tradutor" lhe respondesse em coreano, aí sim estaria a traduzir e tornava a conversa mais interessante. Imaginemos o seguinte diálogo entre a pessoa A, B e C:

A: Aquela cena dos reféns foi mesmo chata...
B: O que é que ele disse? - para a pessoa C.
C: Disse que a cena dos reféns foi mesmo chata....
B: Ah! Diz-lhe que eu também concordo... E já que ele não nos percebe, não achas que aquela camisa cor-de-rosa não favorece nada a sua cor dos olhos.

Não sei se já passaram por isto. A mim já aconteceu algumas vezes e é o mais próximo que eu já me senti de um chimpanzé... Coitados dos bichos! Podem estar a querer dizer a coisa mais profunda sempre que, para nós, soará sempre a bichos... Deve ser revoltante para um chimpanzé estar a discorrer sobre semiótica e ouvir a resposta: "Olha que fofinho... Tão giro... Vamos vesti-lo como uma pessoa e ensiná-lo a separar o lixo! Ou então pômo-lo a jogar bilhar, tiramos uma foto e fazemos postais...".

Outra coisa que me irrita são as pessoas que levam bebés para a Loja do Cidadão por causa de um Decreto-Lei XPTO que lhes dá prioridade no atendimento. É que fico sempre com a sensação de que só levam os pobres bebés para passarem à frente dos outros: "Olha para mim, nem preciso de tirar senhas!". Porque é que não deixam os bebés em casa e os poupam àquele ambiente... Devia ser proibido levar para lá bebés, quanto mais premiar quem os leva! Por outro lado, parece-me uma óptima razão para ter filhos...

Irrita-me também o SMSês. Aquela mania de trocar s's por x's e o's por u's... A palavra "xoxinhu" tem exactamente os mesmos caracteres que palavra "sózinho". Não é nenhuma abreviatura, é apenas estúpido! Não lhes permite ganhar espaço nenhum nas mensagens! Qual é a diferença entre ctg e ktg? A merda do capa! Faz-me lembrar aquelas cantoras de música popular que trocam o nome Cátia (um nome já de si belíssimo) por Kátia. E porque não Carlos por Karlos? Ou Constantino por Konstantinu? Ao menos o Joakim sempre tem uma razão para o fazer, ganha um caracter... Vocês só ganham um nome mais parvo!

Não gosto nada de casamentos... "Ai, vai ser o dia mais feliz da minha vida!". E o que acaba por acontecer é, em pleno Agosto, ficarem duas horas de pé a tirar fotografias com pessoas que não conhecem, vestidos de uma maneira completamente inapropriada para Agosto (já nem falo da estética), enquanto um bando de glutões enche o bandulho às nossas custas (eu falo por mim, quando vou a casamentos como o equivalente à ração anual de um agregado familiar constituído por 4 pessoas do Guatemala)... Alguém tem que ser muito perturbado para considerar isto o dia mais feliz da sua vida... Só se for pelas prendas... Ainda assim, de quantos jarros de cristal precisamos nós para sermos completamente felizes? Por favor...

Irrita-me o eufemismo usado para descrever a brejeirice do pinto da costa: "fina ironia". Se aquilo é "fina ironia", como é que descrevemos o acto de escarrar para o chão? Como um requintado acto de cavalheirismo? A par da sua flatulência (ou devo dizer ruído corporal de fino recorte?) a sua fina ironia é algo com que este hábil e sagaz dirigente desportivo (ou devo dizer corrupto?) nos brinda mais frequentemente...

Irrita-me que o Presidente da República faça tão poucas comunicações ao país... Principalmente à hora da "Tertúlia cor-de-rosa". Interessa-me mais o estatuto jurídico da Região Autónoma dos Açores do que a vida amorosa do Cristiano Ronaldo. Por falar nisso, Cristiano, não sei se sabes mas elas só estão contigo pelo dinheiro. Espero não magoar os teus sentimentos, mas não é pela tua personalidade... Pronto, não chores... Apesar de tudo é melhor do que viver do Rendimento Mínimo...

Irrita-me o computador Magalhães pelo precedente que abre. Será que agora vamos passar a baptizar os nossos electrodomésticos com os nomes das nossas figuras históricas? Será que daqui a uns anos vamos ter, na nossa cozinha, o frigorífico Vasco da Gama, a máquina de lavar roupa Adamastor ou a torradeira Padeira de Aljubarrota?

Outra coisa que me dá cabo dos nervos é o horóscopo... Gostava mesmo de ler o horóscopo da semana da minha morte. Será que vai dizer que "grandes mudanças se avizinham" ou "prepare-se porque vai mudar de casa brevemente"? Duvido muito...

Detesto a televisão generalista que, de generalista, só tem o lixo que oferece. Porque é que se dão ao trabalho de pôr telejornais nos intervalos das novelas, dos talk shows duvidosos e dos concursos?

Odeio monarquia, nobreza e sangue azul... Só a consanguinidade justifica que alguém acredite que é superior a outras pessoas só por ter nascido na família x ou y.

Detesto os asteróides que, a qualquer momento, podem destruir o planeta Terra. Deixem-nos destruir o nosso Planeta à vontade! O espaço é tão grande vão "orbitar" para outro lado! Já não chega o que fizeram aos dinossauros?

Dão-me vómitos as sondagens do Correio da Manhã que hoje me perguntam se "a vitória no tribunal de Carla Baía sobre Isméria foi justa". Quem? O quê? Porque é que me estão a perguntar isto? Quais os efeitos da minha resposta? Se eu disser que não o juiz vai rever o veredicto?

Gosto um bocadinho do Vasco Pulido Valente... Não gosto nada! Acho-o detestável!

Enfim, tinha que escrever algo do género para compensar a lamechice pegada que postei aqui ontem e que acabei por retirar... Por uma questão de equilíbrio.
Enviar um comentário