segunda-feira, 30 de março de 2009

Summer Space/Time Continuum


Ontem mudou a hora... Acho piada ao conceito de mudança de hora. Estamos habituados a olhar para o espaço/tempo como duas dimensões contínuas, indissociáveis e constantes (até que apareceu Einstein a dizer que isto era tudo relativo... E isto é o máximo que eu consigo dizer sobre a Teoria da Relatividade...).

É engraçado por isso que num dia "mude" a hora... O que é feito dessa hora? Levaram-na para o Jardim Zoológico e deram-na de comer aos hipopótamos?

O que é mais revoltante que isto é que roubam-nos uma hora sem darem qualquer explicação (pelo menos que eu saiba... mas se existe é, de certeza, demasiado rebuscada para um homem do povo como eu perceber) e o que fazemos? Formamos uma mílicia e invadimos o centro da cidade munidos de archotes e cocktails molotov para exigir de volta o que é nosso? Não... Limitamo-nos a acertar ordeiramente os nossos relogiozinhos para garantir que não chegamos atrasados ao trabalho no dia seguinte... Mas o que é isto? Parece que ninguém percebe o impacto deste roubo?

E se era nessa hora que a nossa vida ia mudar? Já vi vidas a mudarem em menos tempo... E se era nesta hora que iriamos encontrar o amor da nossa vida? E se era nesta hora que iamos encontrar o pote cheio de moedas de ouro no fim do arco-iris? E se era nesta hora que a Humanidade ia deixar de lutar e, finalmente, decidir viver em paz? E se era nesta hora que alguém ia descobrir a cura para o cancro?

Nunca saberemos... Roubaram-na e nós não fizemos nada...

Já que se permite esse privilégio ao tempo de mudar de 6 em 6 meses... Porque não fazer o mesmo com o espaço? Aí sim, tinha piada... Todas as pessoas sabiam que, no dia em que a hora mudasse, iam ser desmaterializadas e teletransportadas para outro local completamente diferente... Passávamos a véspera a despedir-nos da nossa vida desses últimos 6 meses e a preparar-nos para uma vida completamente diferente, num espaço diferente e num tempo diferente...

Se fosse usada para o espaço a mesma lógica da mudança da hora que é avançar ou atrasar uma hora andaríamos indefinidamente a recuar e a avançar meridianos... Isto seria estúpido e já que se vai mudar alguma coisa ao menos que seja em grande! Já que vamos ser desmaterializados ao menos que valha a pena... Para quê passar pelo transtorno de uma desmaterialização para ir parar a Huelva?

É por isso que eu defenderia uma mudança radical da dimensão temporal e espacial. Por exemplo, chegando à meia-noite do dia 28 de Março de 2009 passaríamos automaticamente para as 17 horas do dia 16 de Fevereiro de 1982, num local completamente diferente (Tonga, por exemplo)... Teria muito mais piada do que andar aos saltinhos de hora em hora e de meridiano em meridiano.

Seria também uma maneira de distribuir melhor a riqueza no Mundo e de sermos mais tolerantes. Toda a gente saberia, literalmente, o que é estar no lugar do outro. E se não soubessem, seria melhor que se preparassem pois no dia da mudança do tempo/hora poderiam ir lá parar. Por exemplo, num dia podes ser o Bill Gates e, no dia seguinte, estás no Darfur a morrer à fome. Assim, da próxima vez que fores o Bill Gates vais mesmo ter que fazer alguma coisa... Não vás tu no semestre seguinte voltar ao Darfur...

Seria um dia de início e um dia de fim. Uma nova oportunidade de começar tudo de novo, uma libertação, uma dolorosa despedida. Teríamos mais emoção neste evento semestral do que a maioria das pessoas têm numa vida inteira.

Isto é muito estúpido...
Enviar um comentário