quarta-feira, 5 de junho de 2013

Crítica cinematográfica sobre uma coisa que não é bem um filme



O melhor que se pode dizer de Ressaca - Parte 2 é que o actor com melhor desempenho é um macaco, curiosamente o mesmo tipo de animal que os autores do filme parecem considerar que é o seu público alvo. Assim é fácil, um macaco tem sempre piada. Ponham um macaco n'"A Lista de Schindler" e até aí o bicho tem piada (felizmente o Spielberg resistiu à tentação). Mas é muito pouco para salvar um filme. Se há coisa que detesto mais do que um mau filme (e eu até sou capaz de gostar de maus filmes) é um filme que para além de ser mau, tenta fazer de mim estúpido. A premissa "Vamos fazer exactamente o mesmo filme, mas agora na Tailândia e com um macaco" é um insulto à inteligência do público. Agora vejo que vai sair a Ressaca - Parte 3, numa tentativa de nos provar que há coisas bem piores do que genocídio ressacas a sério. E parece que tem outro animal engraçado: uma girafa que morre numa auto-estrada. Hilariante. Pelo menos não me voltam a enganar, a única maneira de suportar este filme é se me deixarem tomar uns quantos roofies durante o genérico (eu gostei do primeiro e gosto de alguns dos actores, daí a minha desilusão).

Se fizerem like na página deste blog habilitam-se a ganhar um pequeno almoço na barriga do Zach Galifianakis. 
Enviar um comentário