sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Algumas coisas



"Quando odeias alguém, odeias nessa pessoa algo que é parte de ti. Aquilo que não faz parte de nós não nos incomoda"

Herman Hesse

"Olha que... Foda-se!"

Marco Borges (concorrente do Big Brother 1)

Imagino que estejam completamente abismados com a minha classe em começar um post com duas citações, e que citações. Imagino também que já se estejam a perguntar sobre o que é que eu vou escrever. Eu gostava de vos dizer mas, neste preciso momento, não faço a mínima ideia. Decidi que iria escrever algo para o blog, arranjei duas citações, que é algo absolutamente imprescindível se não soubermos o que vamos escrever, e aqui estou eu à frente do computador a tentar descortinar alguma coisa interessante para vos dizer. Mas não sai nada...

(silêncio incómodo)

Então e o advogado de defesa do Carlos Cruz foi dizer que as acusações do seu cliente são "fantasias de adolescente"? Tem a sua razão, sim senhor... Não se lembram dos vossos tempos de adolescente em que, depois de verem o "1,2,3", se iam deitar e sonhar com o Carlos Cruz? E que lascivos esses sonhos... Não se lembram de forrar as paredes dos vossos quartos com posters do Carlos Cruz? Acho que é um comportamento típico dos adolescentes, fantasiar com o Carlos Cruz, fantasiar que somos órfãos, que vivemos numa instituição, que este nos vem visitar e... Quem nunca passou por isso não sabe o que é a adolescência!

Então e este título: "Guerra irá definir quem será o primeiro-ministro de Israel". Acho muito bem! Até aqui tem sido o povo israelita a decidir e não tem dado muito bom resultado. Ao menos ao escolherem uma entidade isenta e objectiva como a Guerra para eleger o primeiro-ministro pode ser que as coisas mudem. Toda a gente já parte do princípio que a situação no Médio Oriente nunca vai mudar, por isso ao menos que se experimentem novas alternativas... Quem sabe se a solução não virá do local mais inesperado? Até agora, aquilo a que chamam guerra está 500-10 para os israelitas (500 palestinianos mortos para 10 israelitas, mais coisa menos coisa). É um autêntica cavazada. Fazendo uso de gíria futebolística inspirada em gíria de guerra eu diria que os palestinianos estão a ser massacrados... Vá lá! Acabem lá com isso!


Aproveito para acrescentar alguma coisa de útil a este post completamente inútil. A imagem de cima faz parte da obra "Palestina" de Joe Sacco, uma espécie de correspondente de guerra que usa a banda desenhada para passar a sua mensagem. Para além de Joe Sacco ser um artista genial, com uma perspectiva única sobre as coisas e que usa um meio que permite uma versatilidade que outros não permitem (a banda desenhada), esta obra, já com uns anitos, oferece-nos uma perspectiva única sobre o conflito israelo-palestiniano. Os desenhos são muito expressivos, tem um ritmo espectacular e a história é... aquilo que sabemos... ou então não sabemos assim tão bem... Entretanto já escreveu graphic novels igualmente geniais sobre a guerra na Jugoslávia. Recomendo vivamente (Já pareço aquele Professor que aparece aos domingos à noite na televisão. Já não me lembro é muito bem do nome dele. Vitor? Anselmo? Dêem-me lá uma ajuda...).

Este livro aparece frequentemente na pobrezinha secção de banda desenhada da Fnac caso o queiram adquirir (que pretensão a minha, a de julgar que sou tão importante para quem quer que seja que lê isto para os fazer gastar dinheiro em livros...). Para além disso, ofereço-me também para emprestar os dois volumes em português que possuo a quem estiver interessado! Não fazendo eu mais do que a minha obrigação visto que é uma história que urge divulgar...

Além disso, se quiserem posso oferecer-vos um exemplar que tenho da obra do já referido neste post Ricardo Sá Fernandes, "O Caso de Camarate", que comprei só porque estava a 3 euros e que provavelmente nunca irei ler... Ainda vou fazer um passatempo no blog para me livrar desse livro, mas acho que nem assim... (bela ideia para um post, é pena este já estar a acabar)
Enviar um comentário