sexta-feira, 23 de maio de 2008

O grande líder



Interrompo esta minha longa ausência para falar sobre George W. Bush que, como sabemos, é conhecido pela sua imitação hiper realista de um chimpazé a guinchar depois de levar com um coco no meio da cabeça. No entanto há algo que muitos de nós desconhecemos sobre este senhor: ele é Presidente dos Estados Unidos da América (um país que fica no continente americano). É fácil esquecer este facto devido às suas grandes prestações como imitador de chimpazés que acabam por abafar todos os outros feitos deste senhor mas não é de Bush imitador, sobre o qual já tanto foi dito que vou falar (para quem se interessa por esta faceta de Bush recomendo a obra "Man or Monkey" do jornalista do New York Times John McStevenson). Vou falar sobre essa faceta mais obscura desta personalidade que é a sua faceta de Presidente.

Bush é Presidente de um país que está em guerra. Facto facilmente comprovado pela multiplicação de campos de refugiados em Beverly Hills, no Upper East Side de Manhattan e em Miami Beach. É um país que está em crise, que sofre muito com a guerra que está a atravessar e a quem são exigidos imensos sacrifícios. É um povo que está de parabéns pela sua coragem e pela maneira audaz com que enfrentam esta guerra. É comovente ver na televisão todos aqueles habitantes de Orange County, esfomeados, com as suas senhas de racionamento, a aguentar corajosamente nas filas, sobrevoadas por abutres que esperam que o primeiro deles caia inanimado. No entanto, é preciso fazer justiça ao seu líder! Todos estes esforços são mais fáceis quando se tem um líder corajoso, que é o primeiro a dar o exemplo e que se junta ao seu povo no tremendo sacrífico que lhes é pedido...

Pois é, aquele que tanto nos anima com a sua imitação de um chimpanzé enraivecido, juntou-se ao sofrimento do seu povo e fez o último dos sacrifícios: deixou de jogar golf!
Não consigo imaginar o sacrifício de alguém que passa 4 anos sem jogar golf... Fico comovido ao imaginar o orgulho daquele veterano da guerra do Iraque que perdeu as pernas e os braços e que apresenta lesões neuronais que o impedem de pronunciar 3 palavras seguidas ou o orgulho daqueles pais que perdiram os seus filhos gémeos perante este acto do seu Líder: "ele está a sofrer connosco" dizem eles com a lágrima nos olhos. Imagino o temor do povo do Iraque, esses facínoras, perante um inimigo que consegue abdicar desse bem tão precioso e imprescindível que é uma partidinha de golf semanal: "Se ele foi capaz de fazer isto nem imagino o que fará connosco!" grunhem eles enquanto disparam tiros de metralhadora para o ar.
Há quem diga que o esforço é exagerado (um grupo de veteranos fez uma manifestação há uma semana a pedir para Bush acabar com o seu sofrimento... "Nem nós sofremos tanto" gritavam eles do alto das suas cadeiras de rodas), há até quem diga que tudo isto é bluff (o que é mentira visto que não há qualquer registo de entrada no seu Country Club desde Março de 2003... o que comprova o estóico esforço deste homem abençoado pelas estrelas) mas ninguém pode negar que quando vir este homem a imitar um chimpanzé pigmeu vai vê-lo com outros olhos, vai vê-lo como um grande líder que imita de forma sublime um chimpanzé. Ganhou, definitivamente, o seu lugar no Olimpo dos Grandes Líderes!
Enviar um comentário