quarta-feira, 16 de abril de 2008

Comunicado do autor

Vou abrir uma excepção neste espaço para falar um bocadinho a sério, porque parece que é necessário pôr alguns pontos nos is. Quando, hoje de manhã, fui visitar o meu próprio blog (visto que só eu correpondo a um quarto das visitas do mesmo…) apercebi-me que este estava vedado por violar os Termos de Serviço de Blogger. Achei que aquilo era um erro e voltei a tentar entrar. Aconteceu exactamente a mesma coisa…

Não percebi em que é que poderia estar a violar os Termos de Serviço de Blogger e fui informar-me. Ao que parece o meu blog foi listado como sendo um possível blog de spam.

Sendo que este blog foi criado apenas na sexta-feira, é quase exclusivamente visitado por amigos e não tem nem um único link achei tudo isto muito estranho. Foi então que decidi tentar perceber os mecanismos que levam a Blogger a considerar os blogs como spam e entre vários critérios, encontrei o único a que o “Corta-unhas” poderia corresponder. Ao que parece podemos pedir à ou ao Blogger (não sei se é masculino ou feminino…) que analise o conteúdo de determinado blog, para ver se este está de acordo com a sua política.

A própria blogger salvaguarda o facto de isto não ter nada a ver com censura: “The Flag button is not censorship and it cannot be manipulated by angry mobs. Political dissent? Incendiary opinions? Just plain crazy? Bring it on”. Isto são as palavras deles. Ao que parece eu posso ser politicamente incorrecto, incendiário e maluco, isto até alguém decidir que as minhas ideias politicamente incorrectas, incendiárias e malucas são spam… Aí a blogger fecha o blog até terem a certeza que este não é spam e, penso que, aproveitam para analisar se este é politicamente incorrecto, incendiário e maluco.

Acho mesmo que este conceito de blog de spam é o eufemismo que eles encontraram para a censura. Acho que mais facilmente uma mente mesquinha e ressabiada assinala um blog por não gostar dele do que por este ser spam. Que eu saiba nunca no meu blog alguém foi convidado a fazer operações de aumento do pénis, a ser o macaco que come mais bananas, a encestar bolas, a fazer o download de toques de telemóvel ou a encontrar raparigas na sua área de residência… Muito sinceramente, acho que alguém assinalou o meu blog para que lhe passassem um lápis azul. Estou convicto que na Blogger nem devem ter lido os posts, devem apenas ter confirmado que este é apenas um blog recente, feito para amigos e para meia dúzia de pessoas que possam achar piada ao que escrevo… No entanto, a ideia de alguém ter assinalado este espaço assusta-me…

Não gosto de me armar em vítima e detesto aquele discurso de “A sociedade não me compreende, sou avançado demais para este país, são muito atrasados para mim, etc.”. Não me considero superior a ninguém e jamais me consideraria mais evoluído do que a sociedade. Esta é bem maior do que eu. Admito que haja pessoas que não gostam do que eu faço, assim como admito que haja pessoas que gostem… É o normal! Não posso exigir nada a ninguém.

Como podem perceber pelo que escrevi detesto o politicamente correcto. Acho que é uma grande hipocrisia e sinto que as pessoas mais politicamente correctas são as que têm mais esqueletos no armário. Para mim o humor não tem limites e pode ser um óptimo meio de intervenção, por exemplo os Klu Klux Klan foram destruídos pelo humor… No entanto, para mim o humor é uma maneira de expressar as minhas opiniões, sem ser através de enfadonhos artigos de opinião (Pachecos Pereiras já temos muitos…). Não pretendo mudar o Mundo com isto… É preciso ser muito mesquinho para assinalar um blog só porque não se gosta do conteúdo do mesmo...

Vou então fazer algo que detesto e explicar o sentido das piadas para os senhores da Google e para os senhores que flagaram o meu blog perceberem um pouco o que pretendo fazer por aqui. Vou analisar os posts que fiz e explicar o sentido deles, vão perder a piada toda (se é que a têm…) mas tenho que o fazer, para o caso de terem assinalado o meu blog por acharem que eu sou uma espécie de psicopata que quer trabalhar para o Vaticano e que acha que a base de uma relação é o domínio. Para além disto acho que é importante para alguém (que não me conheça) perceber o que é que ando aqui a fazer porque, na verdade, um blog com este nome e com este tipo de posts vindo do nada pode causar estranheza (ainda assim não justifica que o assinalem como impróprio):

Make White Love Not War e Ainda sobre o Mário Machado

Se há coisa que repugno e que mexe com as minhas entranhas é o nazismo. Ter visto durante a semana passada um individuo como o Mário Machado, líder da sucursal portuguesa dos Hammerskins (uma organização internacional que tem, entre outros critérios de admissão, o espancamento de uma quantidade determinada de pessoas de outras raças…), que tem frequentemente discursos incendiários, que concorda com o Holocausto, que admira Hitler, que esteve envolvido na morte de Alcino Monteiro, assumir-se apenas como “orgulhoso da sua raça” deu-me vontade de rir. É algo grotesco ver os lobos vestirem-se de carneiros, e fazerem de um lobo destes um Nelson Mandela tuga revolta-me imenso…

Genialidade

Este foi apenas um texto estúpido, inspirado numa experiência pessoal… Tive a pretensão de fazer algo tipo Woody Allen com algum humor negro… O texto até podia estar mau mas não creio que tenha sido um tocador de pratos que flagou o meu blog.

Supremacia

Como tenho algum conhecimento na área de Psicologia resolvi ridicularizar um pouco essa literatura de auto-ajuda que tem a pretensão de mudar a nossa vida e de nos tornarmos as melhores pessoas do Mundo. Inspirei-me um pouco numa entrevista que o Jon Stewart fez a um indivíduo que escreveu um livro em que assumia que a vida era como uma campanha eleitoral e que, para sermos bem sucedidos, tínhamos que ser como um político. Eu acho que se a minha vida fosse dar beijos a feirantes era capaz de ponderar seriamente o suicídio mas, ao que parece, este indivíduo achou que isto era uma boa ideia para ganhar uns trocos… Pensei um pouco em como seria se um sociopata escrevesse um livro de auto-ajuda sobre relações humanas. Não me cabe a mim avaliar o resultado mas acho que a ideia em si é hilariante…

Uma nova Igreja

Ao ler uma notícia sobre o estudo em que comparam o número de fieis de cada religião, não pude deixar de olhar para as religiões com uma marca que pretende chegar ao público. Foi um pouco o sentido deste post. Sei que era capaz de ser forte para pessoas com convicções religiosas. No entanto, achei-o muito mais ofensivo para os Muçulmanos do que para os cristãos (daí a questão do etnocentrismo…).

Para mim o humor não tem limites e felizmente já passámos os tempos em que não se podia falar de religião… Se não gostaram deste post é escusado voltarem a este blog (onde quer que ele esteja, visto que estou um pouco reticente em relação à Blogger) porque, se bem me conheço, ela vai ser um tema recorrente…

Itália

Será que o Berlusconi veio ao meu blog? Ou foram os Gondomarenses? Fica aqui a questão…

Não vou esconder que tenho a ambição de chegar a mais pessoas para além dos meus amigos, no entanto só faço um pedido. Se não gostarem do que escrevo estão à vontade para comentar ou para deixar de vir ao meu blog. Um blog é um espaço pessoal, aberto ao público é certo, mas da única responsabilidade do seu autor. Numa sociedade democrática, não cabe a ninguém o papel de guardião da moral ou dos bons costumes de vir invadir o espaço alheio e punir aqueles que acham que estão a cometer pecados. Custa-me ver tanto lixo na Internet e ver o espaço que escolhi para espalhar a minha criatividade fechado, principalmente quando a Blogger aloja tanta pornografia e publicidade.

Relativamente à Blogger esta foi a última oportunidade que tiveram. Durante o dia de hoje criei um clone deste blog noutro servidor, que vou imediatamente anular, mas acho que não é muito correcto apagar um blog durante um dia inteiro só porque alguém se lembrou de pôr uma bandeirinha a dizer "Aqui está um parvo!". É um facto, mas isso não me tira o direito de escrever o que muito bem me apetecer.

Enviar um comentário